Quando um comentário de blog vira um post… e depois um paper.


Resumo da ópera:

1) Matthew Rognlie, estudante do MIT, postou um comentário no Marginal Revolution sobre um problema na obra de Piketty, O Capital no Século 21.

2) O argumento deu origem a alguns posts (I, II e outros) no próprio MR.  E obteve repercussão.

3) Isso acabou virando um artigo para o Brookings Papers on Economic Activity  comentado por economistas de peso, como, por exemplo, o Nobel Robert Solow.

Para uma versão maior da história,  há uma matéria bacana no Washington Post.

 

Economia comportamental


Flávia Ávila me avisou do site Economia Comportamental, que busca difundir a área no Brasil, e reune informações sobre cursosvídeos, grupos de pesquisa entre outras coisas interessantes.  A página também tem um blog e já conta com diversos colaboradores.

A iniciativa é louvável, pois esta é uma área de pesquisa que ainda está carente de divulgação e publicações no país.  Àqueles que publicam sobre o tema por aqui, sugiro entrar em contato com a Flávia para divulgar o trabalho. E para quem tem interesse no tema, vale a pena fazer uma visita!

Statistics – Apple Style


Sobre a taxa de adoção do novo sistema operacional iOS 8, a Apple divulgou o seguinte gráfico de pizza. Com 101%, até que não está tão ruim quanto o da Fox News.

chart-01-05-15_2xMas falando em gráficos de pizza, a Apple bem que poderia ter adotado as diretrizes abaixo para melhorá-lo:

devourThePie3Este último gif é via Urban Demographics.

 

 

Twitter para economistas, salte antes e economize 50% na passagem e os debates nos periódicos de economia


Alguns links interessantes:

1) Justin Wolfers fez uma apresentação interessante na conferência anual da American Economic Association com o tema Twitter for Economists. Veio bem a calhar, já que o blog acabou fazer um twitter (que você pode seguir aqui).

2) Sobre concorrência, contratos e direitos de propriedade: um programador criou um sistema para ajudar viajantes a encontrarem passagens mais baratas saltando nas conexões – e não no destino final. No site, Skiplagged.com, você encontra algumas passagens que chegam a ser 50% mais baratas. Companhias aéreas não gostaram da “concorrência” e entraram com um processo.

3) Os debates estão caindo nos top journals de economia? Se sim, quais as razões?