Replicação em economia


John Cochrane soltou um post bacana sobre replicação em economia. Vale a pena conferir.

On replication in economics. Just in time for bar-room discussions at the annual meetings.

“I have a truly marvelous demonstration of this proposition which this margin is too narrow to contain.” -Fermat

“I have a truly marvelous regression result, but I can’t show you the data and won’t even show you the computer program that produced the result” – Typical paper in economics and finance.

The problem 

Science demands transparency. Yet much research in economics and finance uses secret data. The journals publish results and conclusions, but the data and sometimes even the programs are not available for review or inspection.  Replication, even just checking what the author(s) did given their data, is getting harder.

Quite often, when one digs in, empirical results are nowhere near as strong as the papers make them out to be.

I have seen many examples of these problems, in papers published in top journals. Many facts that you think are facts are not facts. Yet as more and more papers use secret data, it’s getting harder and harder to know.

The solution is pretty obvious: to be considered peer-reviewed “scientific” research, authors should post their programs and data. If the world cannot see your lab methods, you have an anecdote, an undocumented claim, you don’t have research. An empirical paper without data and programs is like a theoretical paper without proofs.

(continue lendo no blog do Cochrane)

Anúncios

E se os economistas escrevessem os cartões de Natal?


Com fim de ano apertado, e para manter a tradição: reciclagem do post de Natal!

Análise Real

Fim de ano e festas chegando, nada mais justo do que aproveitar para reciclar rever posts antigos.

Para o Natal, nada melhor do que repetir o post do ano passado, mas com uma atualização para não dizer que sou completamente preguiçoso.

*** Atualização para 2013 ***

– Entrevista com o “Scrooge” economist  Waldfogel (para saber quem é Waldfogel, leia o post abaixo);

– Como dito no post do ano passado (abaixo), nem todos os economistas são os estraga-prazeres das trocas de presentes natalinas. Na verdade, a maioria (54%) parece não ser.

– Seguindo o link anterior: e se os economistas escrevessem os cartões de Natal? Segue exemplo da grande sensibilidade sobre a alma humana que um economista pode ter.

natal

*** Post de 2012 ***

É fim de ano. Provavelmente, você foi convidado para participar de um amigo-oculto da sua empresa. Você, animado, comprou aquele vinho bacana… mas, voltou com…

Ver o post original 446 mais palavras

Dados de pesquisas eleitorais de 1989 a 2015


Neale Ahmed El-Dash, do Polling Data (que já mencionamos aqui algumas vezes, como no modelo de impeachment), acabou de divulgar dados de pesquisas eleitorais brasileiras publicadas entre 1989 a 2015. Você pode acessar os dados clicando em  “Acervo/Past Elections”.