Simulando modelos baseados em agentes no R


Rogério começou uma série de posts sobre Agent-Based Models (Modelos Baseados em Agentes) no R. O primeiro post é uma breve explicação sobre Reference Classes e  o segundo post descreve um modelo simples de Predador e Presa.  Vale a pena conferir.

Replicação em economia


John Cochrane soltou um post bacana sobre replicação em economia. Vale a pena conferir.

On replication in economics. Just in time for bar-room discussions at the annual meetings.

“I have a truly marvelous demonstration of this proposition which this margin is too narrow to contain.” -Fermat

“I have a truly marvelous regression result, but I can’t show you the data and won’t even show you the computer program that produced the result” – Typical paper in economics and finance.

The problem 

Science demands transparency. Yet much research in economics and finance uses secret data. The journals publish results and conclusions, but the data and sometimes even the programs are not available for review or inspection.  Replication, even just checking what the author(s) did given their data, is getting harder.

Quite often, when one digs in, empirical results are nowhere near as strong as the papers make them out to be.

I have seen many examples of these problems, in papers published in top journals. Many facts that you think are facts are not facts. Yet as more and more papers use secret data, it’s getting harder and harder to know.

The solution is pretty obvious: to be considered peer-reviewed “scientific” research, authors should post their programs and data. If the world cannot see your lab methods, you have an anecdote, an undocumented claim, you don’t have research. An empirical paper without data and programs is like a theoretical paper without proofs.

(continue lendo no blog do Cochrane)

Como detectar má ciência… e toda a física está errada!


Dando uma olhada no site do BITSS (que, como falamos anteriormente, acabou de lançar os prêmios Leamer-Rosenthal) vi que eles fizeram um “guia” de como detectar estudos, digamos, duvidosos:

a-rough-guide-to-spotting-bad-science-2015

E sobre o primeiro ponto, lembrei desse cartoon do SMBC:

headline

 

Excel, csv e C++ no R. Livro do Alvin Roth, Nova biografia de Steve Jobs. PCO e liberdade de expressão.


Alguns links interessantes:

R

O pessoal do RStudio não para de trabalhar:

Novo pacote (readr) para ler arquivos de texto (csv e similares) no R;

Novo pacote (readxl) para ler arquivos do Excel no R;

Novo pacote (dygraphs) para fazer gráficos interativos de séries temporais no R usando JavaScript; e

O novo RStudio está ficando cada vez mais poderoso: agora tem uma série de recursos novos para C++ como code completion, diagnóstico de sintaxe e source interativo.

Livros

– O Nobel Alvin Roth irá lançar um novo livro para o público geral: Who Gets What — and Why: The New Economics of Matchmaking and Market Design. O livro está em pré-venda, previsto para sair em junho.

– Nova biografia de Steve Jobs está tendo uma boa repercussão no público e na crítica: Becoming Steve Jobs: The Evolution of a Reckless Upstart into a Visionary Leader.

Para finalizar

– Ainda estou na dúvida se é sério, mas o PCO tem um texto  – aparentemente de verdade – defendendo a liberdade de expressão:

Levy Fidelix é um político de direita e inimigo da luta dos homossexuais, e seu discurso foi um ataque direito aos direitos democráticos, mas a condenação dele não é uma vitória da luta pelas liberdades democráticas (…) A multa de um milhão de reais como penalidade para um candidato expressar a sua opinião política em um debate de campanha eleitoral é uma gravíssimo precedente contra a já limitada possibilidade de livre expressão. A crença de que a justiça está do lado do progresso social e da democracia e, por este motivo, podemos dar a ela poderes discricionários, é não só equivocada, como é uma completa cegueira política (…) Nessas condições, é uma política suicida, já não digamos deixar de denunciar estes abusos, mas principalmente aplaudi-los e confundir a consciência das massas, chamando-as apoiar medidas antidemocráticas apenas porque atingem este ou aquele elemento reacionário. (…) A liberdade de expressão, completa e irrestrita, é uma condição sine qua non para a existência das outras liberdades democráticas, ela é uma liberdade que engloba toda a sociedade e que precede todas as liberdades individuais. (…) Existe uma crescente campanha para solidificar o “crime de opinião” o crime onde você pensa algo que alguns não gostaram e naturalmente você é culpado, onde a sua liberdade está reboque da opinião pública, e se sua opinião tem de ter “selo de aprovação” da opinião pública formada pelos monopólios de comunicação e pela burguesia, a opinião própria já está proibida.

 

Quando um comentário de blog vira um post… e depois um paper.


Resumo da ópera:

1) Matthew Rognlie, estudante do MIT, postou um comentário no Marginal Revolution sobre um problema na obra de Piketty, O Capital no Século 21.

2) O argumento deu origem a alguns posts (I, II e outros) no próprio MR.  E obteve repercussão.

3) Isso acabou virando um artigo para o Brookings Papers on Economic Activity  comentado por economistas de peso, como, por exemplo, o Nobel Robert Solow.

Para uma versão maior da história,  há uma matéria bacana no Washington Post.