Berkeley Initiative for Transparency in the Social Sciences (BITSS) – 2016 meeting


Ontem e hoje houve a reunião da Berkeley Initiative for Transparency in the Social Sciences (BITSS). Além de anunciados os vencedores do último Leamer-Rosenthal Prizes, houve várias apresentações interessantes sobre métodos quantitativos em ciências sociais.

Os dois dias foram  filmados e estão disponíveis no Youtube.

Dia 1:

Dia 2:

Anúncios

Como detectar má ciência… e toda a física está errada!


Dando uma olhada no site do BITSS (que, como falamos anteriormente, acabou de lançar os prêmios Leamer-Rosenthal) vi que eles fizeram um “guia” de como detectar estudos, digamos, duvidosos:

a-rough-guide-to-spotting-bad-science-2015

E sobre o primeiro ponto, lembrei desse cartoon do SMBC:

headline

 

Prêmios para pesquisas abertas, transparentes e reproduzíveis!


A Berkeley Initiative for Transparency in the Social Sciences (BITSS) anunciou ontem a criação dos prêmios Leamer-Rosenthal por uma ciência social aberta (The Leamer-Rosenthal Prizes for Open Social Science).

Os prêmios tomam os nomes de Edward Leamer – de quem já falamos aqui no blog – e Robert Rosenthal. Ambos trataram de problemas sérios na pesquisa acadêmica como a tendência de publicar/buscar “resultados significantes” – muitas vezes genuinamente confundindo sua função  – ou a tendência de ignorar a sensibilidade das próprias estimativas.  Edward Leamer, em particular, trata extensivamente de uma prática bastante comum entre pesquisadores: a de experimentar vários modelos diferentes, até encontrar um que “pareça publicável”, para depois apresentar apenas aquele resultado como se fosse o único modelo testado.

Serão distribuídos de 6 a 8 prêmios de 10.000 a 15.000 dólares para pesquisadores em ciências sociais (como Economia, Psicologia e Ciências Políticas) que tenham feito trabalhos de transparência exemplar, ferramentas para melhorar o rigor das ciências sociais, ou para professores que tenham causado impacto no ensino e difusão de boas práticas de pesquisa.

Mais especificamente sobre as pesquisas, serão premiadas aquelas que busquem, entre outro pontos: (i) apresentar pré-registro,  cálculo de poder do teste e do tamanho amostral (ainda é raro); (iii) ter os dados e o código para replicação disponíveis e bem documentados (lembrem do caso Reinhart-Rogoff); (iv) disponibilizar os materiais originais – como os questionários de pesquisa – para escrutínio público (lembrem do caso Stapel); (v) apresentação adequada e detalhada dos métodos e resultados.

Ou seja, esta é uma iniciativa que busca premiar bons processos! Acredito que tenha vindo em boa hora, juntando-se a diversas outras críticas sistemáticas que têm sido feitas ao atual estado dos métodos quantitativos nas ciências sociais aplicadas.

O prazo para inscrição é até 13 de setembro. Para você que está fazendo uma pesquisa aberta, reproduzível e cuidadosa, eis uma boa chance de ser reconhecido sem ter que se submeter à busca por temas de manchete de jornal.