Simulando modelos baseados em agentes no R


Rogério começou uma série de posts sobre Agent-Based Models (Modelos Baseados em Agentes) no R. O primeiro post é uma breve explicação sobre Reference Classes e  o segundo post descreve um modelo simples de Predador e Presa.  Vale a pena conferir.

Anúncios

Impactos de Contágio do Setor Real no Sistema Financeiro


O novo Relatório de Estabilidade Financeira (REF) do Banco Central do Brasil foi publicado ontem. Dentre várias informações interessantes, neste relatório foi publicado um boxe que discute a mensuração de impactos de contágio do setor real da economia no sistema financeiro.

Resumidamente, a partir de uma rede de conexões do setor real, o BCB simula um processo de contágio e verifica os possíveis afetados bem como seus empregados. Com esses dados em mão, o BCB mapeia as exposições do SFN a essas empresas e funcionários e, em seguida, simula um segundo processo de contágio no setor financeiro.

A rede do setor real (representada abaixo) foi montada a partir dos dados de TED entre as empresas. Na figura abaixo, “cada esfera representa um grupo econômico. O tamanho delas é proporcional à sua participação no fluxo de transferências do SPB. As cores das arestas refletem a importância do fluxo de TED para a empresa recebedora – quanto mais vermelho, maior a importância e maiores as chances de contágio. Nem todos os grupos estão representados.” (BCB, 2015)

setor real

Já a rede do setor financeiro é montada a partir das exposições que os conglomerados financeiros possuem entre si. Na figura abaixo, “as esferas azuis referem-se aos Bancos Múltiplos e Comerciais, as verdes, aos Bancos de Desenvolvimento, as vermelhas, aos Bancos de Investimento, as laranjas, às Cooperativas de Crédito e Financeiras, e as amarelas, às Corretoras e empresas de leasing.” (BCB, 2015)

rede sfnVale a pena tirar um tempo e conferir o REF!

Economia e Análise de Redes


Para quem estava na dúvida sobre como começar, segue uma lista bacana com um livro, um curso no Coursera e 4 apresentações. Além disso, para não ficar só na teoria, lembre de aprender a usar o igraph no R (livro aqui e slides aqui).

Matthew O. Jackson, Stanford University
Social and Economic Networks: Backgound

Slides (pdf)

***

Daron Acemoglu, MIT
Networks: Games over Networks and Peer Effects

Slides (pdf)

***

Matthew O. Jackson, Stanford University
Diffusion, Identification, Network Formation

***

Daron Acemoglu, MIT
Networks: Propagation of Shocks over Economic Networks

Risco Sistêmico na prática: indo além do setor financeiro


Como mapear riscos sistêmicos provenientes do setor real da economia? Quais metodologias podem ser utilizadas, que bases de dados estão disponíveis e como juntar tudo isso? Esses são alguns dos pontos discutidos na apresentação de Edson Bastos, no workshop de Risco Sistêmico promovido pelo IPAM, na UCLA.

Captura de Tela 2015-05-25 às 23.21.21(clique na imagem para assistir)

 

Complexity Explorer


Além da análise de redes, outro tema correlato e que tende a render bons frutos na economia é o da análise de sistemas complexos.

Espero tratar mais deste assunto futuramente, mas, antes, não poderia deixar de passar uma dica para quem deseja iniciar os estudos na área: o site Complexity Explorer.

O curso Introduction to Complexity está para terminar agora em Janeiro e o Introduction to Dynamical Systems and Chaos acabou de começar.