Se você gosta de ler, compre um e-reader.


Para quem já é proprietário de um e-reader, com e-ink (Kindle, Kobo, Nook), este post é dispensável – provavelmente você já acha o seu leitor eletrônico fantástico.

Mas, para o amante da leitura que, como eu, possuía um tablet (seja iPad, Galaxy Tab ou até o Kindle Fire) e acessava seus e-books por meio de aplicativos, peço que preste atenção. E que, ao final do post, se convença de comprar o quanto antes um e-reader.

É bem provável que você já tenha pensado nisso, mas que esteja postergando esta compra; afinal, você já tem acesso à Amazon, ao Google Books e à iBookStore por meio de um aplicativo no seu tablet, celular ou computador. Mais ainda, é bem provável que você ache cansativo ler livros digitais e que você ainda prefira, de longe e sem qualquer discussão, ler os livros impressos.

Eu também pensava assim… até chegar o Kindle 4. É simplesmente fantástico. É igual a um papel. A bateria dura quase um mês. É mais leve do que um livro de bolso; inclusive cabe no bolso da jaqueta, do blazer, e, às vezes, até da bermuda ou da calça. Você pode ler sob a luz do sol na praia, na piscina, no parque da sua cidade…

Para ficção, negócios e história, principalmente de consumo geral, dificilmente você comprará livros impressos novamente. A formatação e o prazer de ler em ambos os suportes são quase iguais, mas com a diferença de que livros impressos se acumulam e ocupam espaço, envelhecem, amarelam, mofam, pesam. Sim, falta o cheiro do livro. Mas o mundo é feito de trade-offs (e, por mais que você acredite que tenha uma preferência lexicográfica com “cheiro de livro” como variável indispensável, sugiro que ainda assim experimente).

Para o economista há uma ressalva com relação a livros técnicos, pois a formatação de equações e gráficos ainda não é a melhor do mundo. Entretanto, acredito ser questão de tempo para que isso se resolva e, mesmo com formatação a desejar, há casos em que a praticidade ainda compensa bastante. Também há restrições com relação a PDF’s de artigos acadêmicos e neste caso ainda não há solução… o mundo não é perfeito.

Resumindo: com o e-reader você vai aumentar o seu consumo de leitura em quantidade e qualidade. Hoje, já é fácil comprar e acessar qualquer livro digital pelo tablet, celular ou computador. Mas não é confortável, por causa do bombardeio de luz das telas de LCD, LED, SuperAmoled, Retina etc. Com o e-reader você vai ler por horas a fio e esquecer do suporte pelo qual ocorre a leitura. Ele some da sua mão, restando apenas o mais importante – o conteúdo. Tal como um livro deve ser.

Disclaimer: este post pode estar sujeito ao deslumbramento natural na aquisição de um produto novo. Para amenizar este viés, aguardei quase um mês para escrevê-lo. De qualquer forma, não me responsabilizo por qualquer decisão de consumo com base na opinião acima.

Anúncios

17 pensamentos sobre “Se você gosta de ler, compre um e-reader.

  1. Poxa, sempre quis um e reader, mas nao comprei pela limitação no que se refere a leitura de pdf. Não há uma boa opção que concilie ter um e reader e ler pdf?

    Curtir

    • Para PDF acho que a melhor opção ainda é o tablet (como o iPad). Use um aplicativo editor de pdf (para fazer anotações grifar) e integrado a armazenamento por nuvem (como o dropbox), você vai ter seus textos anotados e atualizados em todos os dispositivos.

      Acho que para lermos artigos acadêmicos no e-reader ainda vai demorar algum tempo… Infelizmente.

      Abraços

      Curtir

      • Caí no seu blog hoje pelo link do Estatística Brasil.

        Sou fã do Kindle e só leio artigos por ele. Dá para marcar e fazer anotação em quase todos os PDFs, depende de como o autor salvou o arquivo.

        Eu simplesmente coloco o PDF no Kindle por meio do cabo, ou mando por e-mail e pronto. Como eu não tenho tablet e o computador me distrai demais, é a melhor opção para mim. Já li livros gratuitos inteiros em PDF, artigos enormes e é o que funciona para mim. Lembrando de mudar a posição da tela para horizontal, caso contrário acho que nem com lupa resolve. É igual a ler o PDF no computador, com o detalhe que é preto e branco. As equações ficam bonitinhas, a formatação fica a mesma também.

        Curtir

      • Oi, Érica! Que bom que você conseguiu se adaptar a ler pdf no Kindle, meu objetivo é conseguir fazer isso também, pois a tela é muito melho!. Mas deixa eu te perguntar, qual Kindle você tem? Porque eu tentei no Kindle 4 e achei que a letra do pdf ficou muito pequena, principalmente naqueles pdfs que são o scanner do livro aberto! Abs!

        Curtir

      • Eu usava o Kindle Keyboard da minha irmã e um mês atrás comprei o Kindle Paperwhite. O tamanho da tela desses e do seu é o mesmo.

        Nesses casos de digitalização de livro aberto eu trabalho com o zoom. Faço o zoom para caber metade da página – uma página inteira do original – na tela. Isso com a tela na horizontal, que as letras ficam maiores. As letras geralmente ficam menores que no original, mas eu ainda consigo enxergar sem fazer esforço. E tem o editor gratuito Calibre, que faz conversão de vários formatos. Mas de digitalização é um problema bem maior.

        Qualquer coisa, pode me mandar um e-mail que eu tento pensar em algo. Meu pensamento é: Não tem coisa digital que eu não consigo ler no Kindle. Se não fosse ele minha Iniciação Científica ainda estaria na proposta, porque lendo no computador eu não rendo nada.

        Curtir

      • Obrigado, Érica, talvez eu tenha desistido muito cedo de tentar ler pdf no kindle por causa do tablet, vou tentar novamente, usando o zoom etc e vou tentar baixar o calibre para gerenciar os E-Books! Qualquer coisa entrarei em contato mesmo, abs, Carlos

        Curtir

  2. Pingback: Comunidades tribais são mais violentas? O quão próxima é a distribuição normal? O papel do BNDES. | Análise Real

  3. Duas coisas, uma que nem todo mundo sabe (meu chefe não sabia e ficou feliz de ter a informação): você pode mandar seus arquivos em pdf para serem convertidos, e recebe-os automaticamente no seu kindle. Isso é bastante útil pra artigos, apesar de concordar que, às vezes, a formatação não seja ideal.
    A segunda, e mais relevante: para que livros didáticos/acadêmicos fossem melhor adaptados aos e-readers, deveríamos ter mais versões de 9” em vez de extinguir a única que existia, o kindle dx.
    Penso muito em comprar, mas por enquanto estou retrocedendo e imprimindo e encadernando meus próprios livros acadêmicos em capa dura.

    Curtir

    • Boa, eu também não sabia, estava fazendo a conversão “na mão”! Acho que para livros didáticos realmente ainda não há saída boa, mas se você quiser ler livros que tem saído lá fora como o “Thinking, Fast and Slow”, “Expert Political Judgment”, “Why Nations Fail”, “Poor Economics”, etc o Kindle é uma mão na roda e te poupa dinheiro e espaço! Abs

      Curtir

  4. Pingback: Richard Feyman e cheiro de livro | Análise Real

  5. Pingback: Agora parece ser uma boa hora para comprar seu Kindle no Brasil (até 12/06) | Análise Real

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s